PAVIMENTOS PRÉ-ESFORÇADOS

TÉCNICA

Os pavimentos LEIRIVIGA constítuidos por vigotas pré-esforçadas e blocos de aligeiramento (abobadilhas) o objeto de marcação CE, de acordo com a norma NP EN 15037-1.
As vigotas em betão são moldadas com as uperfícies laterais inclinadas relativamente á parte superior, pré-esforçadas por pré-tensionamento dos fios de aço da armadura aderentes ao betão.

  • Resistȇncia
  • Marcação CE
  • Tecnologia provada
laje aligeirada leiriviga
VIGOTAS P2, P3, P4
VIGOTAS V2, V3, V4

NP EN 15037-1

PAVIMENTOS PRÉ-ESFORÇADOS| Aspetos técnicos

Aspetos técnicos



Documentos Técnicos


A LEIRIVIGA apresenta os documentos DT PA024 e DT VA2024 nos quais constam os valores característicos dos pavimentos aligeirados pré-esforçados produzidos. Valores de cálculo para serem utilizados no processo de determinação e escolha da solução que verifica os requisitos regulamentares.
O Eurocódigo 0, 1, 2 e 8 e respetivas Euronormas publicadas na forma de Anexos Nacionais, são a matriz normativa que enquadram estes documentos técnicos da LEIRIVIGA.

DT PA2024

dtp

Valores característicos dos Pavimentos com Vigotas do tipo P

DT VA2024

dtv

Valores característicos dos Pavimentos com Vigotas do tipo V

Os documentos técnicos DT PA2015 e DT VA2015 à data presente coexistem com os documentos técnicos DT PA2024 e DT VA2024.

Nos documentos técnicos DT PA2024 e DT VA2024 são introduzidas as seguintes alterações e novidades:
i) Determinação de características a verificar pelo betão complementar de enchimento:
- Betão do tipo C20/25 com pelo menos 300 kg de cimento por m3 de betão;
- Espessura mínima da camada de betão acima do bloco (abobadilha) maior ou igual a 4 cm;
ii) Novos pavimentos com novas abobadilhas (BL58x30x23, BL58x25x23 e BL58x12x15), e novas espessuras de pavimento;
iii) Explicações técnicas mais completas e detalhadas acerca das disposições construtivas e condições especiais de execução dos pavimentos.

Vigotas do tipo P

P2 P3 P4

Vigotas do tipo V

P2 P3 P4

Novos pavimentos


Nos pavimentos aligeirados relação entre a quantidade de betão complementar necessário, a quantidade de vigotas e o volume de aligeiramento conseguido por unidade (m2 ou m3) de laje e a define a competitividade económica do pavimento. De forma simplista quanto maior aligeiramento menor o peso, e mais barata a laje se torna.
Os novos pavimentos criados pela Leirviga foram desenvolvidos no sentido de maximizar a capacidade de aligeiramento das vigota pré-esforçadas já existentes, colmatando lacunas na gama de blocos de aligeiramento.

2pv5825_2932

Pavimento duplo com alturas entre 29-34 [cm]

3pv5830_3437

Pavimento triplo com alturas entre 34-37 [cm]

As dimensões máximas dos blocos existentes em termos de afastamento entre vigotas, era 48 [cm], com alturas de 12 [cm] e 16 [cm]. Assim foram criados 3 novos blocos de aligeiramento na gama dos 58 [cm] de espaçamento com 12 [cm], 25 [cm] e 30 [cm] de altura.

bloco 58x12x15

Bloco 58x12x15

bloco 58x25x23

Bloco 58x25x23

bloco 58x30x23

Bloco 58x30x23

Os blocos 58x12x15 com alturas de 12 [cm] foram criados como bloco de cofragem para serem usados nas situações de tarugo nos pavimentos com alturas maiores que 25 e 30, daí terem 15 [cm] de profundidade, que é indicada para as nervuras transversais ou tarugos.

Aplicabilidade


LEIRIVIGA sede

Os pavimentos constituídos por blocos de aligeiramento e vigotas pré-esforçadas são dimensionados de acordo com as especificações constantes nos documentos técnicos DT P2022 e DT V2022, e com a regulamentação vigente aplicável nomeadamente os Eurocódigos.

DISPOSIÇÕES CONSTRUTIVAS E CONDIÇÕES ESPECIAIS DE EXECUÇÃO DOS PAVIMENTOS


pormenores lajes pormenores lajes

Armadura de distribuição e Tarugos

Nos pavimentos com vão igual ou superior a quatro metros deverão ser dispostas, além da armadura de distribuição, nervuras transversais contínuas de betão armado, designadas por Tarugos espaçadas cerca de 2 metros.

tarugos

Afastamento entre Tarugos


A largura destas nervuras deverá ser, no mínimo entre 100 a 150 [mm].

tarugos

Tarugos em pavimentos com esp. até 200 mm

A armadura deverá ser constituída, no mínimo, por dois varões colocados imediatamente acima das vigotas nos pavimentos.
Na situação de pavimentos com altura total acima dos 200 [mm] sempre que possível a armadura deverá ser constituída em conformidade com o esquema abaixo.

tarugos

Tarugos em pavimentos com esp. maior que 200 mm

A área da secção deverá ser obtida multiplicando metade da área da armadura de distribuição do pavimento, indicada nas Tabelas Cálculo, pela distância entre nervuras transversais ou, no caso de existir apenas uma nervura, pela distância entre esta e o apoio. Estas nervuras (Tarugos) melhoram a rigidez do pavimento na direção perpendicular às vigotas.

Apoio das vigotas e solidarização

As vigotas deverão ter, em geral, a entrega mínima de 100 [mm], nos apoios, a menos que razões especiais imponham menor entrega e sem prejuízo da segurança que, neste caso, deverá ser convenientemente comprovada.
Os extremos das vigotas, nos apoios dos pavimentos, devem ser solidarizados através de cintas ou de vigas betonadas em conjunto com a camada de betão complementar dos pavimentos.

tarugos
tarugos tarugos

Entregas minimas e faixas maciçamento

Quando se trate de pavimentos com apoios de encastramento ou continuidade, devem prever-se faixas maciças de betão armado para resistência aos momentos negativos. A betonagem destas faixas faz-se nos intervalos entre vigotas deixados livres pela não colocação de fiadas de blocos de cofragem, convindo que, nos sucessivos intervalos, o número de blocos seja alternado para evitar que a ligação da faixa maciça à zona aligeirada do pavimento se faça em alinhamento reto, mais propício ao aparecimento de fendas ao longo dessa ligação.

Cintas laterais

Os painéis dos pavimentos devem ser limitados lateralmente, segundo a direção longitudinal das vigotas, por cintas ou por vigas também betonadas em conjunto com a camada de betão complementar dos pavimentos.

cinta
cinta cinta

Cintas laterais nos bordos e na continuidade

As cintas devem ter uma largura igual à largura da parede que encimam e uma altura não inferior a 0,20 [m], devendo este valor mínimo da altura ser aumentado no caso de paredes muito espessas, com largura superior a 0,50 m.
As cintas devem ser armadas longitudinalmente com, pelo menos, 4 varões de 12 mm de diâmetro quando se utilize aço A235, ou 4 varões de 10 mm de diâmetro quando se utilizem aços A400 ou A500, e transversalmente com estribos de 6 mm de diâmetro espaçados no máximo de 0,20 m.

Aberturas

A execução de aberturas conseguidas pela remoção de blocos de cofragem entre duas vigotas contíguas não necessita, em geral, de verificação de segurança complementar, a menos que essas aberturas condicionem a capacidade resistente do pavimento.

abertura
abertura abertura

Abertura com remoção de blocos de cofragem e com remoção de blocos de cofragem e interrupção de vigotas

A execução de aberturas com a interrupção de vigotas e remoção de blocos de cofragem, é possível desde que se adotem disposições construtivas especiais como, por exemplo, nervuras transversais devidamente dimensionadas onde as vigotas interrompidas possam ser devidamente apoiadas.

Leiriviga, SA. © 2023 - Este sitio web utiliza tecnologia HTML5 com recurso a arquivo de memória no pesquisador.

Leiriviga, SA. © 2023
Este sitio web utiliza tecnologia HTML5 com recurso a arquivo de memória no pesquisador.

Não usamos Cookies permanentes, não pedimos nem usamos dados pessoais dos utilizadores. Ver mais sobre politica de privacidade.

Livro de reclamações